21/06, SEXTA - Palestra História da Homossexualidade no Japão

R$120,00

Esgotado

Descrição Rápida

Durante o período Edo (1603-1868), a homossexualidade era comum na sociedade japonesa — mais que tolerado, o sexo entre homens era celebrado na arte e na literatura. O comportamento homossexual estava entranhado em casas samurais, monastérios budistas e no teatro cabúqui. Mais que um fenômeno marginal, a homossexualidade era manifesta, central e institucionalizada no cotidiano.

Pode-se considerar o Japão moderno menos homofóbico que a maioria das sociedades ocidentais. No entanto, está longe da realidade bissexual dos cidadãos do período Edo. A postura relacionada ao sexo sofreu profundas mudanças nos últimos 150 anos, uma delas a incorporação do conceito ocidental de homofobia — em 1787, um estudioso japonês escrevia que, na Europa, “a homossexualidade é terminantemente proibida e àqueles que agem de forma contrária à natureza cabe a pena capital: o parceiro ativo é queimado vivo e o passivo, afogado no mar”. Educadores japoneses passaram a considerar o desejo homossexual um impulso primitivo e violento, desordem psicológica a ser suprimida por meio do desenvolvimento espiritual.
O estudo do passado contribui para a compreensão e o aperfeiçoamento do presente. A história da sexualidade nos possibilita perceber o quanto as práticas sexuais são reféns de instituições transitórias, um entendimento que contribui para a dissolução de preconceitos e a disseminação da tolerância sexual nas sociedades contemporâneas.

A palestra abordará:
– As origens da homossexualidade japonesa.
– A homossexualidade nos monastérios budistas.
– A homossexualidade samurai.
– A homossexualidade no teatro cabúqui.
– A prostituição masculina.
– As funções de ativo e passivo nas relações sexuais.
– A homossexualidade aos olhos da Lei.
– O fascínio pela androginia.
– O papel das mulheres.

O material oferecido inclui:
— Um exemplar de “O Belo Caminho: história da homossexualidade no Japão”, de Gary P. Leupp, publicado pela editora C33.

Diogo Kaupatez é mestre em arte e cultura japonesa pela USP, com especialização na Universidade de Kanagawa. É tradutor de japonês e editor da C33, dedicada à literatura contemporânea e estudos japoneses.

Descontos para estudantes, informe-se pelo (11) 99717-9661

Data: 21/06/2019, sexta
Horário: 16h ~ 18h
Duração: 2 horas
Onde: Rua Girassol,175 - Vila Madalena, São Paulo

VAGAS LIMITADAS
Máximo 12 alunos

*Fotos ilustrativas

Queremos saber sua opinião

Produto: 21/06, SEXTA - Palestra História da Homossexualidade no Japão

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

Informação Adicional

Descrição Durante o período Edo (1603-1868), a homossexualidade era comum na sociedade japonesa — mais que tolerado, o sexo entre homens era celebrado na arte e na literatura. O comportamento homossexual estava entranhado em casas samurais, monastérios budistas e no teatro cabúqui. Mais que um fenômeno marginal, a homossexualidade era manifesta, central e institucionalizada no cotidiano. Pode-se considerar o Japão moderno menos homofóbico que a maioria das sociedades ocidentais. No entanto, está longe da realidade bissexual dos cidadãos do período Edo. A postura relacionada ao sexo sofreu profundas mudanças nos últimos 150 anos, uma delas a incorporação do conceito ocidental de homofobia — em 1787, um estudioso japonês escrevia que, na Europa, “a homossexualidade é terminantemente proibida e àqueles que agem de forma contrária à natureza cabe a pena capital: o parceiro ativo é queimado vivo e o passivo, afogado no mar”. Educadores japoneses passaram a considerar o desejo homossexual um impulso primitivo e violento, desordem psicológica a ser suprimida por meio do desenvolvimento espiritual. O estudo do passado contribui para a compreensão e o aperfeiçoamento do presente. A história da sexualidade nos possibilita perceber o quanto as práticas sexuais são reféns de instituições transitórias, um entendimento que contribui para a dissolução de preconceitos e a disseminação da tolerância sexual nas sociedades contemporâneas. A palestra abordará: – As origens da homossexualidade japonesa. – A homossexualidade nos monastérios budistas. – A homossexualidade samurai. – A homossexualidade no teatro cabúqui. – A prostituição masculina. – As funções de ativo e passivo nas relações sexuais. – A homossexualidade aos olhos da Lei. – O fascínio pela androginia. – O papel das mulheres. O material oferecido inclui: — Um exemplar de “O Belo Caminho: história da homossexualidade no Japão”, de Gary P. Leupp, publicado pela editora C33. Diogo Kaupatez é mestre em arte e cultura japonesa pela USP, com especialização na Universidade de Kanagawa. É tradutor de japonês e editor da C33, dedicada à literatura contemporânea e estudos japoneses. Descontos para estudantes, informe-se pelo (11) 99717-9661 Data: 21/06/2019, sexta Horário: 16h ~ 18h Duração: 2 horas Onde: Rua Girassol,175 - Vila Madalena, São Paulo VAGAS LIMITADAS Máximo 12 alunos *Fotos ilustrativas
Descrição da Página Não